Pistoleiro acusado de matar sindicalista condenado a 29 anos

A Justiça do Pará condenou na segunda-feira a 29 anos de prisão Wellington de Jesus Silva, pistoleiro acusado de matar, em novembro de 2000, José Dutra da Costa, um dos diretores do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rondon do ParáO crime, encomendado por R$ 2 mil pelo fazendeiro José Décio Barroso Nunes, foi denunciado à ONU por entidades de direitos humanos. O sindicalista vinha denunciando casos de grilagem de terras no sudeste do Pará, região conhecida pela violência no campo.Trabalhadores rurais se concentraram na segunda-feira em frente ao Tribunal de Justiça para pressionar pela condenação do acusado, que ocorreu numa votação de sete a zero. Durante o julgamento, Wellington Silva negou participação no crime. A defesa disse que vai pedir um novo julgamento. A família de José Dutra comemorou muito a decisão, mas quer agora punição para os dois homens acusados de contratar o pistoleiro e para o fazendeiro que teria encomendado o crime. Ainda não há uma data prevista para eles irem a julgamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.