Pitboys voltam a atacar no Rio

Apesar do cerco da polícia aos pitboys, jovens quecostumam promover pancadarias em boates, um novo incidente foi registrado na madrugada de domingo no Rio. O estudante de Direito Daniel Pinheiro Ramos (foto), de 22 anos, foi agredido por um grupo de jovens na boate The Cube, em Copacabana.Ele contou que foi atacado pelas costas por cinco rapazes. Além de hematomas na cabeça e ferimentos na boca e no nariz, Daniel teve o ombro deslocado.A briga começou depois que um dos agressores abordou a namorada de Daniel. Ela contou que o rapaz a conhecia e insistia em namorá-la há algum tempo. Como ela afirmou que estava com o namorado, em poucos minutos ele começou a agredir Daniel com a ajuda de colegas.?Os seguranças demoraram muito para chegar, um deles até me segurou?, disse Daniel, que suspeita que os rapazes sejam conhecidos dos seguranças da boate.O pai de Daniel, o engenheiro Antônio Pinheiro Ramos, contou que o filho foi posto para fora da casa noturna e que foi dele mesmo a iniciativa de chamar a polícia. Dois dos agressores foram detidos e levados à delegacia de Copacabana, mas o causador da confusão escapou. De acordo com o pai de Daniel, eles trocaram de camisa para não serem identificados.Nesta tarde, Daniel foi ao Instituto Médico Legal fazer o exame de corpo de delito. Acompanhado do pai, ele também prestou depoimento na delegacia deCopacabana e usava uma tipóia.?A gente não sabe com quem está lidando. Ficamos numa posição de dupla exposição. Não é só em favelas, entre os pobres, que esse tipo de violência acontece. Mas espero que isso não ocorra mais?, disse o pai do rapaz.A polícia do Rio começou, na semana passada, a listar os brigões. Com nomes nomes e fotos na porta das casas noturnas da cidade, eles serão barrados se tentarem entrar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.