Pitta consegue liminar, mas segue desaparecido

Após conseguir um habeas corpus para cumprir prisão domiliciliar, concedido ontem pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o prefeito Celso Pitta (PTB), de 68 anos, ainda não havia sido localizado até o início da noite de ontem. Por volta das 18h30, ninguém estava na casa do ex-prefeito, no Jardim Europa, zona sul de São Paulo. A reportagem tentou contato com o ex-prefeito e com sua Assessoria de Imprensa durante todo o dia de ontem, mas não houve retorno às ligações. O ex-prefeito de São Paulo foi condenado pela 10ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça pelo não pagamento de pensão alimentícia à ex-mulher, Nicea Camargo, no valor mensal de R$ 20 mil.A decisão é liminar e foi emitida pelo ministro Vasco Della Giustina. O TJ não quis comentar o assunto. Para conseguir a liminar, a defesa da Pitta argumentou que o réu sofre de câncer de cólon do fígado e necessita passar por quimioterapia, além de ser diabético. Ele foi operado no Hospital Sírio-Libanês em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.