Planalto liberou só 8% das emendas para os aliados

Não é à toa que os aliados do governo na Câmara estão irritados com o sinal de que a presidente Dilma Rousseff não vai prorrogar o decreto que cancela, a partir de amanhã, as emendas parlamentares ao Orçamento de 2009, os chamados restos a pagar. Do total de R$ 5,3 bilhões referentes a 2009, o governo liberou até agora R$ 447,4 milhões, o equivalente a 8,32%.

, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2011 | 00h00

A maior liberação de restos a pagar de 2009 ocorreu no mês passado, quando estourou o escândalo envolvendo o ex-ministro Antonio Palocci. Em maio, foram pagos R$ 169,3 milhões - em abril, foram R$ 49 milhões e, em março, R$ 51, 7 milhões. Até sexta-feira, o governo havia liberado R$ 74,2 milhões.

A insatisfação da base com o atraso na liberação de verbas vem crescendo dia a dia. Neste ano, o PT recebeu só 5,58% de restos a pagar referentes a 2009 (R$ 9,2 milhões), enquanto o PMDB conseguiu R$ 10,4 milhões (5,92%). Porcentualmente, o PV foi o partido que mais teve recursos liberados: R$ 2,6 milhões, ou 15,75% do total previstos para a sigla. Quatro partidos nanicos - PMN, PRB, PRTB e PTC - não receberam nada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.