Plano de metas de Kassab terá primeira audiência no dia 8

Todas as 223 ações, que somam R$ 20 bilhões, estarão disponíveis para consulta pública na internet

Eduardo Reina, O Estadao de S.Paulo

01 de abril de 2009 | 00h00

A primeira audiência pública para discutir o plano de metas do prefeito Gilberto Kassab (DEM) até 2012 será realizada no dia 8, na Câmara Municipal de São Paulo. A Prefeitura pretende investir cerca de R$ 20 bilhões em 223 ações em quatro anos. A partir de hoje, de acordo com o secretário de Planejamento, Manuelito Magalhães, todas as metas estarão disponíveis para consulta pública no site www.prefeitura.sp.gov.br/agenda2012.O presidente do Movimento Nossa São Paulo, Oded Grajew, voltou a lamentar o fato de não estarem incluídas metas para as 31 subprefeituras. Magalhães disse que está tudo especificado nas ações descritas no documento. No sábado, o Estado antecipou que o plano traz promessas antigas e não cumpridas pelo prefeito, como o corredor de ônibus da Avenida Celso Garcia, na zona leste da capital.Já o líder do PT, João Antonio, criticou "a ausência de transparência" na apresentação do plano, chamado por Kassab de Agenda 2012, e disse que a bancada petista ainda vai analisar o texto antes de emitir posição à respeito. A ausência do prefeito na entrega frustrou alguns vereadores, que cancelaram agendas e se mobilizaram para participar do evento.O plano de metas foi dividido em seis eixos e parte do programa de governo apresentado na campanha eleitoral de 2008. Entre os investimentos previstos estão considerados recursos municipais, estaduais, federais e da iniciativa privada em políticas de parceria. É a primeira vez que a administração municipal vai trabalhar em cima de metas que poderão ser acompanhadas e cobradas pela população, entidades e pelo Legislativo. Trata-se ainda de uma exigência legal, criada por meio de uma emenda à Lei Orgânica do Município, aprovada no ano passado por pressão do Nossa São Paulo e de 570 entidades da sociedade civil.SABESPOs vereadores paulistanos que se reuniram anteontem com o presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Gesner Oliveira, para tratar do projeto da Prefeitura que prevê concessão do serviço de saneamento na capital à estatal paulista disseram que o assunto caminha "bem". Os parlamentares querem que a Sabesp aceite pagar contrapartidas ao Município. COLABOROU ROBERTO FONSECA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.