Plano urbanístico vai recuperar região do entorno da Luz

Após vários anos de espera, a região da Luz deve ganhar uma nova cara. Nos próximos meses, vão começar as obras de recuperação da sede do Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura (DPH). O edifício, que foi projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo no início do século passado, fica na Praça Coronel Fernando Prestes, no Bom Retiro, que também será recuperada. Os recursos serão financiados pelo Programa Monumenta, uma parceria entre o Ministério da Cultura e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O programa prevê um investimento de R$ 20 milhões em São Paulo. O dinheiro será aplicado na recuperação do patrimônio e em melhorias na infra-estrutura urbana do entorno. "Será elaborado um plano urbanístico para toda a região", afirmou o coordenador nacional do Monumenta, Marcelo Ferraz. Esse plano será uma "costura" entre as várias atrações concentradas na área, como a Sala São Paulo, a antiga sede do Dops, a Pinacoteca e a própria Estação da Luz. A liberação dos recursos já foi acertada entre o programa, o governo do Estado e a Prefeitura. "Não podemos nos dar ao luxo de deixar esse dinheiro parado", disse Ferraz. O total de investimentos previstos nessa primeira fase é de R$ 3,3 milhões - R$ 1,5 milhão para a praça e o restante para o DPH. Outras ações estão previstas para serem executadas pelo Monumenta este ano. Uma delas é a criação do Museu do Brinquedo, em um antigo galpão no Bom Retiro. Será um centro cultural com atividades dedicadas às crianças e mostrará a evolução dos brinquedos no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.