PM acusado da chacina de Vigário Geral é absolvido

O ex-policial militar Arlindo Maginário Filho, apontado como um dos autores da chacina de Vigário Geral, foi absolvido hoje de manhã, por 5 votos a 2. O jugamento ocorreu no 2º Tribunal do Júri e começou às 9 horas de sexta-feira, só terminando às 5h50 deste sábado. O Ministério Público tem cinco dias para recorrer da sentença. Este foi o segundo julgamento de Maginário Filho, que já tinha sido condenado há 441 anos de prisão. De acordo com o Código Penal, réus com penas acima de 20 anos têm direito a novo julgamento. O ex-PM estava preso desde 1993, ano em que ocorreu a chacina, na qual 21 pessoas morreram na favela Vigário Geral. Testemunhas contam que cerca de 50 PMs teriam participado da matança na favela. Segundo o Tribunal de Justiça, das 52 pessoas denunciadas pelo crime, apenas sete foram condenadas e quatro estão presas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.