PM acusado de matar namorada no Rio se entrega à polícia

Fabíola, de 25 anos, foi assassinada com quatro tiros na madrugada de domingo, quando voltava de um pagode com o companheiro

O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2014 | 16h27

RIO - O policial militar Leandro Pinto de Carvalho, de 36 anos, se entregou, na tarde desta segunda-feira, 28, na sede da Divisão de Homicídios (DH) da Capital, na Barra da Tijuca, zona norte do Rio. Ele estava foragido da Justiça desde domingo sob a acusação de matar a namorada, a dentista Fabíola da Cunha Peixoto, de 24, em Olaria, no subúrbio da cidade. Ele foi indiciado por homicídio qualificado.

Fabíola foi assassinada na casa de Carvalho com quatro tiros após discutir com o namorado na madrugada deste domingo, 27. O casal brigava por ciúmes quando voltava de um pagode em Olaria. A mãe de Leandro, Norma Pinto, estava em casa, tentou evitar o crime, mas não conseguiu convencer o filho. Os dois fugiram juntos e ela já prestou depoimento na DH.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, André Leiras, a dentista apresentava lesões de defesa, como se tivesse tentado se proteger dos disparos.

No domingo, policiais da DH estiveram na casa de Carvalho e encontraram R$ 63.420,00 em espécie, quatro braceletes de ouro, um cheque de R$ 200 mil e um laptop trancados em um armário.Os PMs também acharam a caixa e nota fiscal da pistola calibre 40 usada no crime. A arma, no entanto, não foi encontrada.

O cabo, que ingressou na PM em 2000, estava afastado há quatro anos do cargo para tratamento de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.