PM afasta 25 policiais suspeitos de atuar em grupo de extermínio

Comandante diz que as investigações não apontaram para execuções

Rodrigo Pereira, O Estadao de S.Paulo

25 Setembro 2007 | 00h00

O Comando Geral da Polícia Militar afastou ontem mais 19 policiais suspeitos de integrarem suposto grupo de extermínio em Osasco, na Grande São Paulo. O comandante da PM, coronel Roberto Antonio Diniz, confirmou que agora são 25 policiais afastados - três presos preventivamente - por suposta participação em chacinas em Osasco e Ribeirão Pires, onde oito pessoas foram executadas às 23h30 do dia 15. O coronel, no entanto, afirmou que até agora nenhum Inquérito Policial Militar identificou a atuação de esquadrões da morte com a participação de PMs nessas regiões. ''''Até hoje, pelas investigações que foram feitas e estão em andamento, nós não constatamos em nenhuma dessas situações grupo de extermínio'''', disse. ''''Temos como política afastar do policiamento ostensivo o policial que é alvo de investigação'''', prosseguiu, para justificar as medidas. Acusado de assassinato e de pertencer a um grupo de extermínio em Osasco, o soldado Natanael Viana, de 38 anos, foi preso preventivamente na quinta-feira por ordem judicial. Ele já havia sido acusado à Ouvidoria da Polícia em 2001, por suposta participação em um outro grupo de extermínio, mas o caso foi arquivado e Viana voltou à ativa. ''''Até hoje não há prova de que ele tenha matado alguém. Em 2001, o processo foi o mesmo, de uma denúncia que exaustivamente se buscou provas e não se conseguiu essa prova'''', disse o coronel, que não descartou um novo retorno do policial. ''''Se não for comprovado nada, não podemos expulsá-lo da polícia'''', disse, destacando que foram iniciativa da Corregedoria da PM o pedido da prisão preventiva de dois irmãos, um policial do 18º Batalhão (Freguesia do Ó) e outro do 30º (Ribeirão Pires), e a punição administrativa para os demais PMs suspeitos. O coronel destacou que a corporação ''''expulsou ou demitiu'''' 121 policiais neste ano - e voltou a negar que tenham sido motivadas por participação em grupos de extermínio. ''''Temos 90 mil policiais no Estado, que realizam 1,5 milhão de intervenções por mês. ''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.