Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

PM ainda não realizou prisões na Favela da Grota

Noventa policiais militares ocuparam a Favela da Grota, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, após a exibição de imagens gravadas de traficantes realizando uma espécie de feira livre das drogas no local, na edição de ontem do Jornal Nacional. Até as 11 horas, a polícia não havia efetuado nenhuma prisão no local. O comandante geral da PM, coronel Wilton Ribeiro, admitiu que o Complexo do Alemão é uma das áreas do Rio de maior desafio para a corporação. "Ninguém quer viver de salário mínimo e, ao mesmo tempo, as pessoas não param de consumir drogas", analisou.A reportagem mostrou jovens oferecendo livremente haxixe, maconha e cocaína a quem passava por uma rua movimentada da favela, à luz do dia. Na gravação, os preços eram anunciados aos gritos: "Maconha de 2 (reais)! Promoção no pó de 5!" Um traficante fazia até propaganda: "Pó de 15 (reais), vem cheirar o pó bom da Grota!" Algumas pessoas formam filas para comprar drogas.As imagens mostram também um grupo de meninos consumindo maconha no meio da rua, e bandidos com idades estimadas entre 12 e 20 anos armados de fuzis e pistolas, circulando calmamente entre moradores, estudantes e mulheres com crianças de colo. A entrada da Grota é a principal via de acesso ao Complexo do Alemão, onde vivem cerca de 50 mil pessoas em 12 favelas.O secretário da Segurança Pública, coronel Josias Quintal, determinou ontem que a Polícia Civil suba a favela para identificar e prender as pessoas que aparecem nas imagens da TV Globo. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM, do Grupamento Especial Tático-Móvel (Getam) e do 16º Batalhão (Olaria) ocupam e patrulham desde as 6 horas de hoje as principais ruas e acessos do morro, em busca de traficantes que atuam no chamado pregão da droga."As imagens são muito fortes. Aquela feira vai acabar. O tráfico de drogas nessas comunidades é uma herança que existe há muitas décadas, não sendo, portanto, um problema de simples solução", disse Quintal. Segundo ele, as cenas mostradas pela TV Globo "obrigam a sociedade a fazer uma profunda reflexão sobre o papel constitucional das instituições policiais".Um levantamento feito pela Polícia Federal durante cinco anos mostra que são vendidas 2,5 toneladas de cocaína e 5,5 toneladas de maconha todos os meses no Rio. No Complexo do Alemão, o tráfico teria uma tropa de 150 "soldados" fortemente armados.MadrugadaDois homens morreram durante uma troca de tiros com policiais em Acari, na zona norte, na madrugada de hoje. Foram apreendidos no local um fuzil, um revólver e um carro roubado. Em outro tiroteio entre PMs e traficantes do Morro da Coroa, no Catumbi, na região central, um policial foi baleado na perna direita. No Morro Santo Amaro, no Catete, zona sul, policiais prenderam Anderson da Silva Pedro, acusado de estar com 25 trouxinhas de maconha.Também durante a madrugada, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu, em um ônibus da viação Horizonte que seguia para o interior da Bahia, armas, munição, drogas e relógios de diversas marcas. A apreensão ocorreu durante uma blitz realizada na altura de Volta Redonda. O material estava acondicionado em malas no bagageiro. Como o proprietário das malas não foi identificado, todos os passageiros foram levados para a Superintendência da Polícia Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.