PM apreende arsenal em bairro nobre de Mogi das Cruzes

Um fuzil calibre ponto 50 com poder de fogo para derrubar um helicóptero foi apreendido na madrugada de hoje com outras três armas, 850 cartuchos de diversos calibres, jóias e coletes à prova de balas numa residência da Vila Oliveira, bairro nobre de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. A polícia acredita que o dono das armas e da casa, Luís Dutes Ribeiro, de 35 anos, procurado pela Justiça de Pernambuco por roubo, faça parte de um grupo responsável por seqüestros e assaltos a caminhões e empresas de cargas.Ribeiro, que usa o nome falso de Daniel Siqueira Dantas, viajou no domingo para Recife. Suspeita-se que ele também esteja envolvido com o tráfico de drogas e o aluguel de armas para ladrões. "O setor de combate ao crime organizado da Polícia Civil está levantando a vida do bandido, pois queremos localizá-lo e saber suas ligações", informou o delegado Antonio Martins Fontes, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro).No começo da madrugada, militares do 17º Batalhão receberam um telefonema indicando que um assalto estava ocorrendo na casa 155 da Rua Desembargador Djalma Pereira. Os policiais foram até o local e falaram com a dona da casa, Edna Viana da Silva. Ela não chamara a polícia e disse que o marido estava viajando. Os PMs vistoriaram a casa e quiseram saber o que havia num quarto dos fundos, cuja porta estava trancada com cadeado. Edna explicou que só seu marido tinha as chaves. "O Luís não deixa ninguém se aproximar."A porta foi arrombada e os militares ficaram surpresos com o arsenal encontrado: o fuzil ponto 50, outros dois fuzis, AK-47 e calibre 300, uma pistola 9 milímetros, munição, quatro coletes à prova de balas, uniformes de vigilantes de empresas de segurança, carregadores para as armas, algemas, gorros e calças pretas, cartões de bancos, rádios de comunicação na freqüência das Polícias Civil, Militar e Federal, dezenas de folhas de cheques, relógios, jóias, cédulas de identidade, de habilitação, certidões de nascimento em branco. Na garagem havia duas motos.O perito em armas do Instituto de Polícia Científica Leopoldo Luís Jensen examinou o fuzil ponto 50 e acredita que a arma foi fabricada por "algum" armeiro de bairro. "O fuzil é potente e pode derrubar um avião", explicou.A mulher de Ribeiro, um filho e um vizinho foram levados para o 1º Distrito Policial de Mogi das Cruzes e liberados após o registro da ocorrência e a apreensão das armas. Os vizinhos achavam que Ribeiro era um empresário do ramo de transportes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.