PM cerca prédio invadido em Curitiba

A Polícia Militar cercou o prédio do antigo Banco do Estado do Paraná (Banestado), no centro de Curitiba, que está ocupado há quase dois meses por 40 famílias de sem-teto, preparando-se para o despejo, que pode acontecer neste sábado. O objetivo do cerco, com a participação de cerca de 40 policiais, é evitar que mais pessoas engrossem a invasão.Em entrevista à Rádio CBN, em Curitiba, o secretário de Segurança, Luiz Fernando Delazari, justificou que o cerco se fazia necessário, pois, pela manhã, em reunião, o líder do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), Anderson Schwertner, teria dito que iria lotar o prédio de sem-teto para impedir o cumprimento do mandado de reintegração de posse. Uma comissão com deputados e vereadores tentava encontrar um local para abrigar as famílias.Com o isolamento promovido pelos policiais, os sem-teto que estão no prédio ficaram com o espaço de mobilização restrito. Eles têm cerca de 10 metros em frente ao prédio se quiserem sair. Mas ninguém mais consegue entrar no edifício de nove andares, além de dois subsolos e um mezanino.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2003 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.