PM condenado por matar vidraceiro

O soldado Renato Pereira da Silva, da Polícia Militar de Minas Gerais, foi condenado a sete anos de prisão em regime semi-aberto pela morte do vidraceiro paulista Marcelo Ribeiro dos Santos, de 22 anos, ocorrida em outubro de 1998. A sentença foi proferida pelo 1o Tribunal do Juri do Forum Lafayette, em Belo Horizonte. Segundo o processo, o soldado matou Santos com um golpe de judô - uma chave de pernas -, por asfixia, quando tentava dominá-lo no saguão do Aeroporto da Pampulha, Zona Norte da capital. O vidraceiro acabara de desembarcar na cidade vindo de São Paulo, para passar alguns dias na casa de amigos. Conforme testemunhas, Santos aparentava estar embriagado e teria agido de forma agressiva ao ser abordado pelo policial. Advogados da família de Santos informaram que vão recorrer da sentença, pedindo pena mais rigorosa para o soldado, a quem acusam de uso abusivo de violência e de homicídio culposo. Também os advogados de Renato Silva prometem recorrer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.