Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

PM de Salvador volta a sofrer ataques durante jogo da Seleção

Governo cogita pedir ajuda federal para reprimir ações contra a polícia

Eliana Lima, SALVADOR, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

A capital baiana foi palco de mais ataques ontem, durante a partida de futebol entre Brasil e Chile. Os alvos foram dois postos policiais - um metralhado e um incendiado - e um ônibus, em que criminosos atearam fogo. Os atentados criminosos tiveram início ainda de madrugada. A polícia acredita que sejam uma retaliação à transferência do traficante Cláudio Eduardo Campanha para a cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Desde a madrugada de segunda-feira as ações criminosas deixaram oito civis e três policiais feridos. Nenhum corre risco de morte, mas dois civis continuam internados. Seis acusados de participar das ações foram mortos em confronto e outros seis, presos. Os atentados já destruíram dez módulos da PM e 11 ônibus. O governo baiano admite convocar a Força Nacional de Segurança para ajudar a polícia. Mas, segundo o governador Jaques Wagner, a medida ainda não é necessária.

Conforme testemunhas, bandidos passaram em um Gol e metralharam o módulo do final de linha de Pernambués, ontem à noite. O mesmo ocorreu no Largo do Tamarineiro, no bairro da Liberdade. O local foi metralhado e incendiado. Em nenhum dos casos houve feridos. Por determinação do comando da PM, todo o efetivo passou a trabalhar em rondas, com o apoio das viaturas. A decisão foi tomada como medida para evitar que outros agentes sejam atingidos.

Ainda nesta quarta-feira, bandidos incendiaram um ônibus da empresa São Cristóvão, no fim de linha do bairro de Tancredo Neves. Havia a informação inicial de que o motorista havia sido baleado e queimado, mas a 11ª Delegacia desmentiu. Diretores do Sindicato dos Rodoviários também desmentiram uma possível paralisação dos ônibus na manhã de hoje. O que haverá é uma reunião para avaliar a segurança no transporte público municipal. O diretor do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Salvador (Setps), Horácio Brasil, garante que não haverá greve. Ainda assim, as empresas Vitral, São Cristóvão e Modelo recolheram os veículos mais cedo ontem.

BOMBA

Apesar de desativados pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia desde terça-feira, outros dois módulos da Polícia Militar já haviam alvos de ataques de criminosos entre a noite de anteontem e a madrugada de ontem. O Módulo Policial de Engenho Velho da Federação foi destruído com uma bomba caseira e marretadas, poucas horas depois de um ônibus ter sido incendiado a 100 metros dali.

No outro ataque, quatro criminosos metralharam o Módulo de Areia Branca, no município de Lauro de Freitas, na região metropolitana. Eles foram flagrados por policiais e perseguidos. O Astra no qual estavam capotou na Estrada do Coco (BA-099). Houve troca de tiros e três criminosos morreram. Por causa do confronto, a CLN, que administra a rodovia, liberou o pedágio e retirou os funcionários das cabines de cobrança por uma hora. COLABOROU TIAGO DÉCIMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.