PM desativa bomba em Foz do Iguaçu

A Polícia Militar do Paraná desativou nesta terça-feira, em Foz do Iguaçu, um artefato explosivo deixado entre uma barraca de pastéis e o muro da casa de um libanês, na região da Ponte da Amizade, que liga o Brasil ao Paraguai. Aoperação envolveu ainda a Polícia Federal, o Corpo de Bombeiros e a Guarda Municipal.O artefato tinha pouco poder de destruição, mas poderia ferir quem o manipulasse. O major Marcos Teodoro Schereneta, que comandou a operação, descartou qualquer associação com atentado terrorista."Trata-se de uma brincadeira de mau gosto", disse o major. Ele destaca, no entanto, que o artefato foi montado por alguém que entende de explosivos. Nele havia uma granada, uma bateria com circuito, dois relés para acionamento, dois pequenosmotores de partida e 500 gramas de pólvora preta. A granada é de uso exclusivo da Polícia Militar, de acordo com o major.Cerca de 30 policiais isolaram a área e detonaram o artefato, primeiro com um jato de água para eliminar a pólvora e depois uma pequena carga de explosivo para acionar a granada. A polícia acredita que o material teria outro destino, já que ali não produziria nenhum efeito.A Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu à paraguaia Ciudad del Este, está localizada a milmetros do local.A sacola de plástico contendo o artefato foi encontrada por volta das 9 horas desta terça-feira, mas já estava no lugar quando a dona dabarraca, Jacira Claudete Dacal, chegou para trabalhar. Um cliente dela, Isac Mendonça Alves, abriu o pacote, sujou as mãos com pólvora e decidiu avisar a polícia.O libanês Mohamed Wanni, de 67 anos, dono da casa vizinha à barraca, ficou preocupado e sóse tranqüilizou ao ser informado pelo major Schereneta que não se tratava de atentado contra ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.