PM diz que 'Nem' e comparsas ofereceram R$ 1 milhão de suborno

Traficante estava escondido no porta-malas de um veículo, supostamente pertencente ao cônsul do Congo

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

10 Novembro 2011 | 10h54

SÃO PAULO - Em matéria veiculada pela TV Globo, um dos policiais militares que participaram da operação que resultou na prisão de Antônio Bonfim Lopes, conhecido como "Nem", disse que os homens que ajudavam na fuga do criminoso chegaram a oferecer R$ 1 milhão de suborno para que eles fossem liberados.

"Primeiro, eles ofereceram R$ 20 mil, depois, R$ 1 milhão para liberarmos eles", contou o soldado Heitor, um dos agentes do Batalhão de Choque que abordou o veículo usado na tentativa de fuga do traficante. De acordo com a assessoria da PM, a informação sobre a tentativa de suborno foi confirmada, mas ainda não era preciso o total do dinheiro oferecido.

"Nem" estava escondido no porta-malas de um Corolla preto, supostamente pertencente ao cônsul do Congo. Três homens estavam dentro do veículo. Um deles afirmou aos policiais ser o cônsul. O outro disse que era funcionário do consulado; já o terceiro, seria o advogado do traficante.

Segundo informações da embaixada do Congo, em Brasília, eles aguardam orientações da Polícia Federal para se pronunciar. A embaixada não confirmou nenhuma das informações sobre a fuga do traficante.

Mais conteúdo sobre:
traficante nem preso rocinha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.