Enviada por leitor
Enviada por leitor

PM do Rio cumpre reintegração de posse da Casa Nem, abrigo para LGBTs em situação de vulnerabilidade

Medida foi cumprida nesta segunda-feira, 24, e moradores foram realocados para uma escola estadual

João Ker, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2020 | 17h22
Atualizado 24 de agosto de 2020 | 18h52

Agentes da Polícia Militar do Rio fecharam na manhã desta segunda-feira, 24, a rua Dias da Rocha, em Copacabana, para a reintegração de posse do imóvel ocupado pela Casa Nem, organização sem fins lucrativos que abriga pessoas LGBTQ em situação de vulnerabilidade. Os cerca de 50 moradores do prédio foram deslocados para uma escola estadual, onde ficarão até que um prédio em Laranjeiras, cedido pela Prefeitura do Rio, fique pronto para recebê-los. 

Essa é a segunda vez que a Polícia Militar vai ao local para cumprir uma ordem de despejo contra o grupo, que ocupa o imóvel desde julho do ano passado. A primeira, em julho deste ano, não foi realizada após protestos de moradores da Casa Nem e ativistas locais. De acordo com a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, a advogada Letícia Furtado esteve no local durante a ação de reintegração nesta manhã e afirmou que não foi necessário o uso da força pelos agentes da PM.   

Procurada pela reportagem, a Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual (CEDS) afirmou que o imóvel reintegrado não pertence à Prefeitura e que procurou os moradores da Casa Nem para oferecer acolhimento na rede municipal de abrigos. Funcionando há quatro anos no Rio, desde que surgiu como um movimento independente em meios às aulas do curso PreparaNem, o coletivo já passou por imóveis na Lapa e em Vila Isabel, antes de ir serem realocados hoje para o Colégio Estadual Pedro Álvares Cabral, no número 104 da rua República do Peru, também em Copacabana.      

O local foi cedido pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) que, em nota, afirma disponibilizá-lo para os moradores da Casa Nem enquanto o prédio da Prefeitura não estiver pronto. De acordo com informações da CEDS, o termo de cessão para que o imóvel em Laranjeiras seja destinado ao projeto só foi pedido na última sexta-feira por Indianara Siqueira, coordenadora da Casa Nem, e ainda não há previsão de quando ele será destinado ao centro de acolhimento. 

 

Ainda na última quinta-feira, 20, o Congresso Nacional derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro ao trecho de um projeto de lei que impedia despejo de inquilinos decidido por liminar durante a pandemia, até 30 de outubro. O pedido de reintegração de posse foi feito pelos proprietários do prédio, representados pela Iliria Administração de Imóveis e Negócios Ltda, e de acordo com um vídeo publicado por Indianara, teria começado antes das medidas impostas pela covid-19. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.