PM é acusado de matar dois e ferir nove em Belém

O policial militar Oscar Ferreira Alves Filho, de 33 anos, foi preso no começo da tarde desta segunda, em sua casa, no bairro do Telégrafo, em Belém, acusado de ser o autor da morte de duas pessoas e de ter atirado em outras nove durante a madrugada. Armado com uma pistola, ele saiu às ruas em sua moto, sem usar capacete, para aparentemente matar quem encontrasse pelo caminho.Cinco de suas vítimas ainda estão internadas no Pronto Socorro Municipal. Outras quatro foram liberadas.A delegada Isabel Cristina Souza, responsável pelo inquérito, disse que a prisão de Alves Filho foi possível depois que ela ouviu testemunhas do crime e checou denúncias anônimas sobre o provável autor dos disparos. O PM não esboçou qualquer reação ao ter sua casa cercada por policiais civis e militares. Ele nega que seja o autor dos crimes, embora seja desmentido por algumas testemunhas até agora ouvidas.O acusado não estava de serviço quando teria atirado nas pessoas. A corregedoria da Polícia Militar está acompanhando o caso e promete abrir inquérito paralelo para apurar a participação de Alves Filho no episódio. Se isso ficar comprovado, ele será expulso da PM e responderá a processo de homicídio duplamente qualificado contra duas pessoas e tentativa de homicídio contra outras nove.VítimasOs mortos foram Marcos Roberto Rodrigues dos Santos, 19 anos, e Rodrigo Lopes da Silva, também de 19. "Eles foram executados friamente. O criminoso chegou de moto, parou, olhou para um grupo de pessoas que estava na rua, escolheu em quem deveria atirar e disparou. Depois, foi embora para matar mais adiante, em outra rua. As pessoas atingidas caminhavam pelas ruas ou conversavam com vizinhos na porta de suas residências.A direção do hospital informou que Gleidson dos Santos Avelar, 19 anos, e Maria Elisa Moraes, 29 anos, que lá estavam internados, deixaram o PS sem receber alta dos médicos. Outra vítima, Cleison Rocha dos Santos, 22 anos, ocupa a área de traumatologia do hospital e aguarda transferência para o Hospital Metropolitano.Jonathan Felipe da Silva, de 17 anos, ainda internado, deverá passar por nova avaliação médica. Sanderson Gemaque Pacheco, de 18 anos, e Ana Paula Siqueira do Nascimento, 19 anos, estão em estado grave no Hospital Metropolitano. Segundo a polícia, eles foram atingidos com tiros no abdômen.O promotor militar Gilberto Martins denunciou no ano passado que mais de 40 policiais militares afastados da PM por problemas mentais andavam pelas ruas de Belém dirigindo táxis ou trabalhando em festas noturnas como seguranças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.