PM é morto a tiros dentro de casa em Praia Grande

O segundo-tenente reformado da Polícia Militar Nilton Santos Ramos, de 55 anos, foi morto a tiros na noite de sexta-feira, em sua casa, no bairro Caieiras, periferia de Praia Grande (litoral de SP). De acordo com a polícia, quatro homens encapuzados chegaram à casa do PM procurando pela vítima. O filho de Ramos, de 16 anos, foi chamá-lo. Ao atender, Ramos foi rendido e levado para o fundo da casa. Lá, os desconhecidos dispararam vários tiros. O policial ainda recebeu um corte na cabeça, não se sabe se foi com faca ou golpes de machado. O clima foi de consternação no início da tarde deste sábado, no cemitério municipal, onde o corpo foi velado. A própria esposa do policial, Leolinda da Silva Gondin, estava atônita e não sabia explicar o porque da tragédia. Os marginais encapuzados disseram que haviam fugido de uma penitenciária e pediram abrigo em sua casa. Quando o marido chegou, eles começaram a atirar, não dando tempo para que ele se defendesse. O tenente era uma pessoa muito querida no bairro. Ele chegou a integrar a banda musical da corporação, antes de se aposentar. "Eu só sei que não volto mais para minha casa, porque os meus dois filhos estão muito traumatizados com a ocorrência", garantiu a viúva ainda assustada com a tragédia. Ela afirmou que só volta para Caieiras para pegar seus pertences e, por enquanto, vai permanecer na casa de parentes.Outras mortesNa Baixada Santista, foram mortos três vigias. Desde a noite de terça-feira, quando tiveram início os atentados do PCC a alvos civis e de segurança do Estado, a Polícia Militar prendeu 64 pessoas e matou três suspeitos em confronto, segundo balanço divulgado ontem pela corporação. A Secretaria da Segurança Pública, porém, não atualizou outras informações e, com isso, o número oficial de vítimas dos ataques permanece em seis pessoas.Pelo menos 12 cidades registraram algum tipo de ataque na sexta-feira. Somados aos números oficiais de quinta-feira, 140 alvos foram atingidos desde a retomada das ações do PCC. Às 22h30, dois ônibus foram atingidos por tiros na Avenida Sapopemba, zona leste. Não houve feridos. A polícia de Praia Grande não descarta a possibilidade da morte Ramos ter sido encomendada pelo PCC. Matéria alterada às 14h50

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.