PM é morto com 5 tiros em Guarulhos

Mais uma morte de policial militar terá de ser desvendada pela Polícia Civil. É a quarta execução em menos de uma semana na grande São Paulo e, em todos os casos, ainda resta a dúvida sobre o motivo do crime: vingança, acerto de contas ou tentativa de roubo seguida de morte. Os três primeiros casos, cujas vítimas foram dois capitães e um soldado, ocorreram em Embu, cidade da grande São Paulo, nos bairros de Santana, zona norte, e Vila Livieiro, zona sul, da capital paulista, respectivamente. Desta vez, na quarta execução, a vítima foi o soldado Carlos Roberto Romão, que era lotado no 5º Batalhão da Policia Militar, responsável pelo policiamento de parte da zona norte da cidade. Por volta das 23h de ontem, moradores da Rua 41, no Parque Continental, periferia de Guarulhos, ouviram vários disparos de arma de fogo e acionaram a Polícia Militar. No momento em que chegaram ao local, os policiais encontraram o soldado, à paisana, caído no chão, ao lado de um veículo Gol, ferido com 5 tiros no peito.O policial ainda foi levado para o Pronto-socorro do Hospital Municipal Padre Bento, onde acabou morrendo. Apesar da quantidade de tiros e todos numa mesma região do corpo, a polícia não trabalha apenas com a hipótese de execução premeditada. Há a possibilidade do soldado, que mora na mesma região onde morreu, ter sido vítima de uma tentativa de roubo seguida de morte, ou porque reagiu ao assalto ou então porque os bandidos podem ter descoberto a funcional dele e resolveram executá-lo no momento em que realizavam o assalto. O caso foi registrado no 01º Distrito Policial de Guarulhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.