Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

PM é morto durante perseguição a criminosos na Avenida Brasil

Policiais do 14º Batalhão da Polícia Militar tentaram interceptar o carro quando houve troca de tiros; o sargento chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos

Marcio Dolzan, Rio de Janeiro

12 de outubro de 2020 | 15h48

O policial militar Cirio Damasceno Santos, de 51 anos, foi morto na manhã desta segunda-feira, 12, após ser atingido por um tiro na cabeça durante perseguição a criminosos pela Avenida Brasil, na zona norte do Rio de Janeiro. O crime aconteceu próximo à favela do Muquiço.

Segundo informações da Polícia Militar (PM), policiais do 14ºBPM (Bangu) iniciaram cerco a um veículo suspeito que trafegava pela avenida no início da manhã. A equipe tentou interceptar o carro, quando iniciou a troca de tiros. Na ação, a viatura da PM chegou a capotar na via. Os criminosos conseguiram fugir para o interior da favela.

O sargento chegou a ser socorrido e levado ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, mas não resistiu aos ferimentos. Outra pessoa ferida também foi encaminhada ao hospital, mas não há informações sobre ela.

Após a perseguição, a Polícia Militar iniciou uma operação na favela do Muquiço. Dois suspeitos foram presos e um foi baleado. Duas armas de fogo, drogas e rádios transmissores foram apreendidos. A ação prossegue nesta tarde.

O sargento Cirio Damasceno Santos era casado e estava lotado no 14º BPM. Ele havia ingressado na PM há 20 anos. Ainda não há informações sobre o sepultamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.