PM é preso por planejar seqüestro no Vale do Paraíba

O cabo da Polícia Militar Paulo Henrique Belo das Chagas, do 1º Batalhão da Polícia Militar de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, foi preso em flagrante, na manhã de hoje, acusado de planejar o seqüestro da dona de casa Ivonete Ferreira, de 31 anos. A vítima foi seqüestrada na última quarta-feira em São José dos Campos e conseguiu fugir do cativeiro, no município de Lavinhas. Além do cabo, também foram presos o ex-policial militar Márcio de Macedo Moura e o instalador de antenas Claudinei Carlos da Silva. Segundo a polícia civil, Ivonete foi rendida pela quadrilha quando foi a um sítio da família, em São José dos Campos, mostrar a propriedade aos seqüestradores, que simularam estar interessados em alugar o local para uma festa de final de ano. Na quarta-feira, por volta das 11 horas, a mulher saiu de casa para mostrar o sítio aos supostos clientes e ao chegar na propriedade foi rendida pelos bandidos. Alguns funcionários que trabalhavam no sítio também foram rendidos, mas libertados em seguida. Apenas a mulher foi levada. De acordo com o delegado Leandro Mantovani, a vitima foi escondida em outros dois cativeiros, antes de chegar a Lavinhas.O primeiro contato com a família foi feito na noite de quarta-feira. Inicialmente os seqüestradores exigiam a quantia de R$1,2 milhão. Na manhã de hoje, a vítima percebeu que um dos seqüestradores estava dormindo e aproveitou a oportunidade para fugir do cativeiro, localizado na Estrada do Suspiro, zona rural de Lavrinhas. Ao conseguir escapar, pediu socorro a populares, que chamaram a polícia. Apesar de abalada, a mulher não sofreu nenhum tipo de agressão. ?Foram ameaças psicológicas o tempo todo?, contou o delegado. Os primeiros seqüestradores a serem flagrados pela polícia, ainda no cativeiro, foram Moura e Silva. Foram eles quem denunciaram o policial militar de São José dos Campos como mentor do seqüestro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.