PM encontra acampamento de bandidos no Cantagalo, em Niterói

Policiais militares de Niterói, na Grande Rio, encontraram no fim da noite de segunda-feira um local usado para esconder objetos roubados. Uma denúncia anônima levou os policiais ao Morro do Cantagalo, em Pendotiba. Eles tiveram de usar até cordas para chegar ao acampamento dos marginais, numa região muito íngreme de mata, perto da Pedra do Cantagalo.No local, os policiais encontraram um frigobar, uma TV, aparelhos de som e DVD, roupas e perfumes importados, um taco de beisebol, uma touca ninja e sete celulares. Quando perceberam a chegada da polícia, os bandidos reagiram com tiros e fugiram para a mata deixando uma espingarda, que foi apreendida."O local era usado por eles como base para seqüestros relâmpago e para esconder objetos. Tinha muito material importado, totalmente incompatível com a comunidade", disse o coronel Marcos Jardim, comandante do Batalhão da PM em Niterói (12º BPM), que acompanhou pessoalmente a operação. Segundo Jardim, a polícia tenta prender Renato Teixeira Gonçalves, de 33 anos, conhecido como Renatinho Enoque, que é ligado ao tráfico de drogas local e promove roubos na região, marcada pelo contraste entre a favela e os condomínios de classe média alta. O coronel acredita que o acampamento seja guardado por bandidos do grupo de Renatinho.BorelNa zona norte do Rio, o comércio nos arredores do Morro do Borel, na Tijuca, ficou parcialmente fechado por causa do luto imposto por traficantes locais. Até mesmo um plástico preto foi esticado na Rua São Miguel, que dá acesso à comunidade, por causa da morte de Robson Rodrigues Vieira, o Robinho, de 27 anos. Ele era sobrinho de Isaías do Borel, líder do tráfico local preso no complexo penitenciário de Bangu, e foi enterrado no final da manhã no Cemitério do Catumbi.O corpo de Robinho foi deixado na segunda-feira na sede da Associação de Moradores do Borel, depois de mais uma disputa entre bandidos das facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Amigos dos Amigos (ADA). Na madrugada de segunda traficantes do Borel (CV) tentaram invadir o vizinho Morro da Casa Branca (ADA), mas foram rechaçados pela Polícia Militar. Na Casa Branca, o segurança Eduardo Lima Ferreira, de 29 anos, foi atingido por uma bala perdida e morreu. Ele também foi sepultado nesta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.