PM encontra celulares e túneis em presídios paulistas

A Polícia Militar encontrou, após blitz no fim de semana, 38 telefones celulares e dezenas de carregadores e fones de ouvidos em posse dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) presos na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo.No total, 54 telefones celulares e dois túneis foram localizados e apreendidos desde domingo em seis penitenciárias do Oeste Paulista.A direção da P-2 de Venceslau irá começar a investigar na terça-feira, 5, como tantos aparelhos celulares entraram na prisão, usada exclusivamente para isolar líderes de rebeliões e do PCC. A suspeita é de que os aparelhos entraram nos corpos de visitantes, uma vez que foi apreendida grande quantidade de papel carbono, que inibe a descoberta pelos detectores de metal. Além dos celulares, a PM apreendeu duas brocas e porções de cocaína que era traficada dentro do presídio.Em outra Blitz, na penitenciária de Paraguaçu Paulista, também no interior, os agentes encontraram um túnel de 15 metros de comprimento e dois de profundidade que seria usado numa fuga em massa. Os agentes receberam informação anônima da tentativa de fuga de descobriram o túnel na cela 7 do pavilhão 6. A terra era escondida em trouxas de roupas distribuídas em várias celas do presídio.Em Marabá Paulista, a direção decidiu realizar uma blitz nesta segunda, 4, depois que uma mulher foi flagrada no domingo tentando entrar com oito celulares escondidos num pacote de bolacha. Durante a blitz, outro celular foi apreendido em poder de detento e um pequeno túnel com um metro de profundidade foi localizado numa das celas.Outras blitz localizaram 6 celulares em Assis e Dracena, e em Pracinha um homem foi detido depois que o raio X localizou um aparelho celular dentro do seu corpo. Ainda em Pracinha, Ana Cristina Pagani foi presa com 150 gramas de maconha que pretendia levar para o marido, preso naquela cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.