PM faz ação para prender suspeitos de estupro coletivo no Rio

A delegada que investiga o crime, Cristiana Onorato Bendo, da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, pediu a prisão de três traficantes envolvidos no estupro, que estão foragidos

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

10 de junho de 2016 | 13h18

RIO - A Polícia Militar (PM) realiza no início da tarde desta sexta-feira, 10, uma operação em favelas do Complexo de São José Operário, zona oeste do Rio. A região abriga o Morro da Barão, onde a jovem de 16 anos sofreu estupro coletivo no último dia 21 de maio. A delegada que investiga o crime, Cristiana Onorato Bendo, da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, pediu a prisão de três traficantes envolvidos no estupro, que estão foragidos: o chefe Sérgio Luiz da Silva Júnior, o Da Russa, Moisés de Lucena, o Canário, e um conhecido apenas como Perninha.

De acordo com a PM, a ação é realizada por policiais do Grupo de Ações Táticas (GAT), 9° Batalhão (Rocha Miranda, zona norte) e 18° Batalhão (Jacarepaguá, zona oeste). A corporação informou que a ação "tem objetivo de proporcionar maior sensação de segurança aos moradores da região e prevenir aos crimes de roubo de veículos, de cargas, de rua e o tráfico de drogas".

Até as 13h não havia confrontos entre policiais e criminosos da facção Comando Vermelho (CV), que controlam a venda de drogas no complexo. "Equipes vasculham as comunidades em busca de indivíduos suspeitos, armas e drogas. Equipes da Operações de Fiscalização de Veículos também estão realizando abordagens, verificando veículos em desacordo com o Código de Trânsito Brasileiro e atitudes suspeitas. Até o momento, não há registro de apreensões", informou a PM em nota.

Tudo o que sabemos sobre:
Comando Vermelho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.