PM invade presídio e encerra rebelião em Vitória

Após seis horas de rebelião, 30 homens do Batalhão de Missões Especiais (BME) da PM invadiram a Casa de Custódia de Viana, na Grande Vitória, e retomaram o controle da unidade. O motim foi iniciado às 10h30 por 150 presos do pavilhão 1. Um grupo tentou invadir a área conhecida como ?seguro?, onde ficam aqueles ameaçados de morte. A polícia encontrou um túnel na cadeia, que tem capacidade para 450 pessoas, mas abriga aproximadamente 800 detentos. Cinco presos e dois PMs ficaram feridos.O BME usou balas de borracha, bombas de efeito moral e cães para conter os rebelados. Presos dos pavilhões 2, 3 e 4 incendiaram colchões para atrapalhar a ação da PM, que recebeu o apoio do Corpo de Bombeiros. Depois do fim do motim, a polícia revistou o presídio. No pavilhão 4, um túnel que estava sendo cavado pelos presidiários foi descoberto. Pelo menos dois celulares e uma marreta, além maconha e cordas feitas com lençóis foram encontrados.Os presos não fizeram reivindicações nem tomaram reféns. Quatro detentos ameaçados foram transferidos para o Instituto de Readaptação Social (IRS), em Vila Velha. O diretor-geral dos estabelecimentos penais do Espírito Santo, coronel César Rodrigues, informou que houve tiroteio entre os presos e a polícia. Segundo a PM, os ferimentos nos cinco detentos foram causados por balas de borracha. Um policial teria sido atacado por um cachorro da própria corporação e outro, machucado a clavícula em uma queda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.