PM libera ''hora extra'' em folga

Se projeto for aprovado, policiais poderão atuar em dia de descanso para ter bônus da Prefeitura

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

06 Agosto 2009 | 00h00

A Polícia Militar de São Paulo informou ontem que vai autorizar os policiais lotados na capital a fazer escalas extras em dias de folga de forma voluntária e, com isso, receber um bônus da Prefeitura. A medida passa a valer somente após a aprovação, na Câmara Municipal, de um projeto do prefeito Gilberto Kassab (DEM) que cria gratificações de até 100%, a serem pagas pelo Município, não sobre o salário bruto de oficiais, mas sobre um salário-referência, de cerca de R$ 1.800. O texto foi enviado à Câmara anteontem, como mostrou reportagem do Estado.Segundo a PM, que anteontem não havia se manifestado, a gratificação poderá ser aplicada a todas as patentes, desde coronéis até cabos. No entanto, pelo texto de Kassab, até soldados poderão receber um reforço da Prefeitura, equivalente a até 70% do salário-referência - desde que atuem para a administração municipal (mais informações nesta página). Procurada para comentar o assunto, a Secretaria da Segurança Pública, a quem a PM é subordinada, afirmou que apenas a corporação se pronunciaria sobre o projeto.BICOSA Prefeitura espera que o bônus acabe de uma vez por todas com os "bicos" feitos por policiais militares fora do horário de serviço para complementar o salário do policial, algo que é proibido por lei. O trabalho costuma ser de segurança, com os policiais atuando em padarias, bares, restaurantes, hipermercados e boates. Caso o policial seja flagrado pela Corregedoria da corporação fazendo atividade extracurricular, responde a um processo administrativo que pode acabar com uma punição. A Polícia Militar não respondeu quantos policiais foram flagrados neste ano em "bicos". Os salários dentro da corporação variam de R$ 2 mil a R$ 8 mil (incluídas as gratificações estaduais previstas atualmente para a profissão). Os PMs que já recebem bônus por outras funções acumuladas não poderão ser contemplados com a remuneração extra da Prefeitura de São Paulo. Para o vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados do Estado de São Paulo, Antônio Carlos do Amaral Duca, a intenção do prefeito Gilberto Kassab de complementar o salário dos policiais é vista com "bons olhos". "Para o policial que ganha um salário de miséria, tudo que vem contemplar é muito positivo", avalia. No entanto, ao ser perguntado se os "bicos" estariam com os dias contados na capital, Duca respondeu que é cedo para saber. "Claro que dedicar horas extras na corporação é bem melhor para o PM. O QUE DIZ O PROJETO1. Serão criadas gratificações sobre o salário-referência de R$ 1. 800 dos policiais que trabalham na capital2. A gratificação de 100% será concedida a oficiais com as seguintes patentes: coronel, tenente coronel, major, capitão, 1.º tenente e 2.º tenente3. A gratificação de até 70% dessa referência será destinada a subtenente, 1.º sargento, 2.º sargento, 3.º sargento, cabo e soldado4. Os policiais que já recebem bônus por outras funções acumuladas não poderão receber outras vantagens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.