Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

PM mata bandido e tráfico impõe luto em favela com UPP no centro do Rio

Diogo de Oliveira Tarcia Santos, o DG, era apontado como chefe das bocas de fumo do Morro da Providência

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

08 Junho 2013 | 13h40

RIO - O comércio amanheceu fechado neste sábado (08) no interior e no entorno do Morro da Providência, na região central do Rio de Janeiro. Há lojas fechadas até nas proximidades do edifício da Central do Brasil, onde ficam a 4ª Delegacia de Polícia e a sede da Secretaria de Segurança do Estado. De acordo com comerciantes, o luto foi imposto por traficantes, devido à morte de Diogo de Oliveira Tarcia Santos, conhecido como DG, de 26 anos, apontado como chefe das bocas de fumo na comunidade. Conhecida por ser a primeira favela da cidade, a Providência possui uma UPP desde abril de 2010.

 

O suspeito foi baleado durante troca de tiros com policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), na madrugada, e morreu no hospital. Comerciantes que não quiseram se identificar disseram que, por volta das 7h deste sábado, dois bandidos que estavam numa moto e portando pistolas passaram pelas ruas próximas à favela e mandaram que as lojas baixassem as portas. Quem tentou burlar a ordem funcionando à meia-porta recebeu aviso de que o local seria incendiado.

A Polícia Militar informou que, de madrugada, PMs da UPP Providência receberam denúncias de moradores de que DG estaria escondido numa casa na localidade conhecida como Ladeira do Barroso. Os policiais foram checar a informação e foram recebidos a tiros por traficantes que faziam a segurança de DG. Houve confronto. Além de DG, foi baleado Henrique Souza Rodrigues, o Parazinho, que também é suspeito de envolvimento com o tráfico. Os dois, entretanto, conseguiram escapar.

Ainda segundo a Polícia Militar, posteriormente, em um outro ponto do morro, durante patrulha para captura dos criminosos, os policiais da UPP encontraram, na Praça Américo Brum, o traficante DG sendo socorrido por moradores. Os policiais o colocaram na viatura e o levaram ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. O bandido chegou a dar entrada no centro cirúrgico, mas não resistiu. Já o traficante Parazinho, que seria segurança de DG, foi capturado também ferido, em outro ponto do morro. Ele também foi conduzido pelos PMs ao Souza Aguiar, e segue internado.

Neste sábado, o policiamento está reforçado no Morro da Providência e nos arredores, com o apoio de policiais do 5º Batalhão (Praça da Harmonia).

O Disque-Denúncia (21-2253-1177) oferecia R$ 1 mil por informações que levassem à captura do traficante Diogo de Oliveira Tarcia Santos, o DG, acusado de pertencer à facção Comando Vermelho. Contra ele havia somente um mandado de prisão pelo crime de corrupção de menores.

Operação fortaleza. Em março deste ano, o Ministério Público do Rio denunciou 73 pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas e formação de quadrilha no Morro da Providência. As denúncias desencadearam a Operação Fortaleza, realizada no dia 8 daquele mês pela Polícia Civil e pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança. Na ocasião, foram presos 21 policiais militares e 25 suspeitos de ligação com o tráfico de drogas na região central do Rio, além da apreensão de três menores de idade.

Os procedimentos foram instaurados a partir de investigações da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco).

Mais conteúdo sobre:
Tráfico violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.