PM mata um dos assassinos do guitarrista do Detonautas

Rogério Allan Aguiar Gomes foi morto em confronto com a Polícia Militar após roubo de veículo

Maíra Teixeira, do estadao.com.br,

23 de fevereiro de 2010 | 18h35

Um dos assassinos do guitarrista do grupo Detonautas, Rodrigo Netto, morto numa tentativa de roubo de carro em 4 de junho de 2006, morreu em confronto com a Polícia Militar da cidade do Rio de Janeiro, na segunda-feira de carnaval, dia 15.

 

Segundo informações divulgadas nesta terça-feira, 23, pelo 22º Batalhão da Polícia Militar (Méier, na zona norte), Rogério Allan Aguiar Gomes, foi perseguido da Vila Isabel - onde ocorreu o roubo do veículo - até Benfica, onde o confronto ocorreu, informou a PM. Benfica é região de atuação do 3º BPM.

 

Rogério Allan foi morto junto com mais dois acusados do roubo. Detido em 2006, ele era menor de idade quando o guitarrista foi assassinado e, por isso, cumpriu medida socioeducativa de três anos. Foi solto no início deste ano.

 

O guitarrista Rodrigo Netto, conhecido como Nettinho, tinha 29 anos quando morreu. Ele voltava de uma festa de família em Cascadura, na zona norte, com o irmão Rafael, de 32 anos, e a avó, Maria, de 87 anos. Com medo dos episódios de violência na Linha Amarela, Netto decidiu fazer o trajeto de volta para casa pela Avenida Marechal Rondon. No bairro do Rocha, foi interceptado por um outro Astra, com três rapazes. Ele acelerou para tentar fugir dos criminosos, que dispararam em direção ao carro. Netto foi atingido sob a axila esquerda. A bala chegou ao coração, matando o músico na hora. O irmão dele e uma pedestre também foram baleados, mas sobreviveram.

Tudo o que sabemos sobre:
DetonautasRodrigo Netto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.