PM mineira aceita proposta do governo e encerra greve

Bombeiros também fizeram acordo; agentes e delegados da Polícia Civil continuam paralisados

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2011 | 16h31

BELO HORIZONTE - Integrantes da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros mineiros decidiram encerrar o estado de greve em que estavam há cerca de um mês. Ao contrário dos agentes e delegados da Polícia Civil, os militares aceitaram a proposta do governo, de reajuste parcelado até 2015. Pela proposta, a categoria vai receber 10% de reajuste em outubro, 12% um ano depois, 10% em outubro de 2013, 15% em julho de 2014, 12% em dezembro do mesmo ano e 15% em abril de 2015.

Na assembleia realizada até o início da noite desta quarta-feira, 8, os militares ficaram divididos, mas, segundo o subtenente Luiz Gonzaga Ribeiro, integrante da direção da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas (Aspra), houve votação e a proposta foi aceita.

"Era o que nós queríamos. O governo parcelou até 2015, mas percebemos que (as negociações) estavam no limite. Essa questão de efetivo tem que ser reivindicação institucional", disse, referindo-se ao principal pleito dos policiais civis, que, além do reajuste, querem também a realização de concurso para contratação de pessoal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.