PM morre e grávida perde o bebê durante tiroteio no Rio

Menina de 14 anos levou tiro na barriga e seu estado de saúde é grave; ela saía de casa para ir trabalhar

Da Redação,

07 Fevereiro 2009 | 13h07

Um policial militar morreu e uma adolescente grávida foi ferida por uma bala perdida durante um tiroteio na manhã deste sábado, 7, no Engenho da Rainha, na zona norte do Rio. Traficantes rivais dos morros do Urubu e do Engenho trocaram tiros por volta das 7 horas. Uma menina de 14 anos, que estava grávida de quatro meses, levou um tiro na barriga e perdeu o bebê. Seu estado de saúde é grave.   Veja também:  Beltrame quer demitir PMs que trabalhariam para Beira-Mar     O caso se deu dois dias depois da morte da jovem Luana Rodrigues Junqueira, de 18 anos, por bala perdida, durante uma troca de tiros entre um policial civil e um PM em uma lanchonete na Vila da Penha, subúrbio do Rio. A briga entre o inspetor Álvaro Cavalcanti de Souza, de 48 anos, e o tenente do 16º.BPM(Olaria) Diego Luciano de Almeida, de 30 anos, aconteceu quando a lanchonete estava cheia.   Luana foi atingida após se levantar para ver de perto a discussão. Ela, o namorado e o primo se aproximaram dos agentes e a jovem acabou atingida por um tiro na cabeça. O inspetor Souza foi baleado no peito e morreu no local. Já o PM, atingido por três tiros na perna, foi operado no Hospital Getúlio Vargas e depois transferido para o Hospital da PM. Ele não corre risco de vida.   O PM morto no tiroteio no Engenho da Rainha foi atingido no tórax quando tentava coibir a guerra entre traficantes. No embate, um homem não identificado foi baleado. Como ele, a garota atingida foi levada para o Hospital Salgado Filho. Ela era vendedora ambulante e estava saindo de casa para trabalhar. A mãe da menina mostrou-se resignada no hospital. "A gente tem que pedir força a Deus, não adianta se desesperar", disse Denise Sueli da Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.