PM prende acusados de atear fogo em morador de rua

A Polícia Militar de Belo Horizonte prendeu duas pessoas acusadas de atear fogo em um morador de rua na madrugada desta quinta-feira, 14. Jaildo Ferreira da Silva, de 45 anos, sofreu queimaduras no rosto, tórax e mãos enquanto dormia em frente ao prédio do Ministério Público do Trabalho (MPT), no Bairro Santa Efigênia, região leste da capital mineira. Ele foi atacado por duas mulheres e um homem, também identificados como moradores de rua. Saulo Tarso Pereira, de 26 anos, e Kelly Maria da Silva, de 20, prestaram depoimento na 2ª Delegacia Distrital de Polícia Civil e confessaram a participação na tentativa de homicídio. Com eles, os militares apreenderam um frasco de solvente, produto inflamável. O casal informou que costuma dormir no local e que o crime foi motivado por vingança. A vítima foi acusada de assediar sexualmente Kelly. A outra mulher que aparece nas imagens está foragida. A ação dos agressores foi flagrada pelas câmeras de vigilância do MPT. As imagens mostram duas mulheres se aproximando de Jaildo, que dorme na calçada. Elas observam o andarilho e em seguida jogam um líquido sobre o seu corpo e acendem um fósforo. O fogo atinge o cobertor. Jaildo acorda assustado, mas consegue apagá-lo. Minutos depois, um homem de boné também se aproxima e ateia fogo no morador de rua, que corre em chamas e cai no chão, sendo socorrido em seguida por pessoas que estavam nas proximidades. Jaildo foi levado para o Hospital Pronto Socorro João XXIII, onde recebeu atendimento e permanecia internado em observação. De acordo com o hospital, ele estava consciente e passa bem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.