PM prende outro suspeito de ter participado da morte de Tim Lopes

A Polícia Militar de Minas Gerais prendeu, no início da tarde de hoje, nos fundos de uma casa, no bairro Nova Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, um homem suspeito de ter participado da morte do jornalista Tim Lopes. Segundo o tenente coronel Rômulo Berbert Diniz, comandante do batalhão da PM que efetuou a prisão, Euler Mendes Júlio, de 25 anos, confessou que fazia parte do grupo do traficante Elias Maluco, acusado de ter comandado a execução de Tim Lopes e preso na semana passada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro.Euler foi denunciado à polícia por um vizinho, a quem ele contava detalhes da morte do repórter. Ele foi preso por volta das 14h e não reagiu à prisão e nem portava armas. O suspeito disse aos policiais que trabalhava como "olheiro" do tráfico no Morro do Alemão e ganhava R$ 50 por dia para avisar aos traficantes sobre a presença da polícia ou de pessoas estranhas.Segundo Euler, foi ele quem alertou os chefes do tráfico sobre a presença o jornalista da Rede Globo, que fazia uma reportagem sobre prostituição de adolescentes em bailes funks no morro. "Falei para eles que tinha um cara diferente lá. Eles foram, pegaram e quando viram era um repórter que estava bisbilhotando. Aí o patrão (Elias Maluco) mandou matar ele", disse, ao ser apresentado pela polícia.O suspeito afirmou que Tim Lopes foi espancado, morto a facadas e depois teve o corpo queimado num local conhecido na favela como "churrasqueira". Depois da repercussão da morte do jornalista, segundo a PM, Euler, que afirma ser mineiro, resolveu voltar para Belo Horizonte. Na época, cortou os cabelos e tirou a barba. "Até o presente momento a gente está vendo um certa coerência nos depoimentos dele. Ou ele é um grande contador de história ou ele participou mesmo", afirmou Diniz. Euler foi conduzido ao Departamento de Investigações da Polícia Civil de Minas, onde se encontra preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.