PM que matou homem que segurava furadeira no Rio é absolvido

Bope participava de uma operação no Morro do Andaraí quando agente confundiu furadeira com uma arma

Priscila Trindade, do estadão.com.br,

16 Janeiro 2012 | 14h28

O texto foi atualizado às 14h50.

SÃO PAULO - A Justiça do Rio de Janeiro absolveu o cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Leonardo Albarello, que matou um fiscal de supermercado que segurava uma furadeira, no dia 19 de maio de 2010, na zona norte da cidade. O policial participava de uma operação no Morro do Andaraí e confundiu a furadeira com uma arma.

Na sentença do dia 12 de dezembro do ano passado, o juiz Murilo André Kieling Pereira, da 3ª Vara Criminal do Rio, afirmou que "qualquer policial teria a mesma ação que o agente, nas mesmas circunstâncias em que este se encontrava".

Segundo o magistrado, Albarello "foi motivado por um expressivo conjunto: o ínfimo espaço de tempo para reflexões; a pressão de uma operação policial, sob o dever específico de proteger seus companheiros; a razoável distância para o alvo e a forma da ferramenta empunhada similar a de uma arma de fogo".

Hélio Barreira Ribeiro, de 46 anos, foi atingido por um tiro de fuzil quando pregava uma lona no terraço de sua casa. O policial estava a aproximadamente 30 metros de distância, segundo laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, quando atirou contra a vítima. No dia 24 de junho de 2010, a polícia fez a reconstituição da morte do fiscal.

O policial foi denunciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar). Ele respondia ao processo em liberdade. Albarello está há 10 anos na tropa de elite e 12 na PM.

A família da vítima pode recorrer da decisão.

Mais conteúdo sobre:
furadeira PM Bope Justiça Andaraí

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.