PM recebe 17 chamadas contra fumantes em SP

A lei antifumo na capital paulista já rendeu mais chamados à Polícia Militar - para socorrer empreendimentos em que fumantes insistiam em não apagar o cigarro - do que multas aplicadas por descumprimento da legislação. Entre sexta-feira e domingo, a PM precisou comparecer em 17 locais por insistência das pessoas em fumar em locais proibidos. No mesmo período, os fiscais do Estado aplicaram 13 sanções contra bares, restaurantes e casas noturnas que permitiram o uso do tabaco em seus espaços. A lei prevê que as penas sejam aplicadas contra os donos dos estabelecimentos e não aos fumantes. Caso o proprietário peça para o cliente não fumar e ele se recuse, a orientação é chamar a polícia. "Comparecemos quando notamos que há risco, como briga ou ameaça", afirmou o porta-voz da PM, capitão Emerson Massera. "Por isso, acreditamos que seremos mais acionados nos fins de semana." Massera informou ainda que a polícia não é responsável por fiscalizar a lei. "Isso tem gerado dúvidas. A maior parte das ligações que o 190 recebe sobre o assunto é de pessoas querendo denunciar fumantes", diz. O correto é ligar para o disque-denúncia 0800-771-3541. Até agora, 50 estabelecimentos de todo o Estado foram multados, a maioria bares e restaurantes. Casas noturnas também aparecem entre autuados, além de supermercados e padarias.

, O Estadao de S.Paulo

12 Agosto 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.