PM reforça segurança no interior de SP para evitar ataques

A Polícia Militar também reforçou a segurança no interior do Estado para evitar ataques à corporação, como vêm ocorrendo na Grande São Paulo. O policiamento aumentou principalmente em Presidente Prudente, Bauru, São José do Rio Preto e Araçatuba. Agora, pelo menos uma guarnição precisa ficar o dia inteiro de prontidão nas bases. O número de soldados também foi elevado. Bloqueios foram instalados nas imediações das bases militares e os policiais não devem andar sozinhos quando estiverem fardados.A polícia também está preocupada com rebeliões e atentados contra presídios. Somente em Araçatuba são cinco cadeias e quase seis mil detentos. Mais de 110 homens das tropas de choque de Araçatuba e São José do Rio Preto já participaram de um treinamento. A tropa de choque simulou a entrada em um presídio com presos rebelados. Segundo um policial, os PMs não podem tomar uma atitude errada em um momento de rebelião.Novos ataques deixaram os órgãos de segurança em alerta na Grande São Paulo neste final de semana. Dois ataques à Guarda Civil Metropolitana na Grande São Paulo foram registrados na noite de sábado. Em Cotia, um carro da GCM foi atingido por tiros. Estilhaços do pára-brisas feriram uma guarda feminina. Os bandidos conseguiram fugir. Pouco antes, em Guarulhos, dois homens fugiram depois de atirarem contra um posto da Guarda Civil, na Rodovia Presidente Dutra. Os criminosos chegaram de moto atirando. Um deles invadiu o pátio, quebrou o vidro da janela e disparou contra uma guarda. Ninguém ficou ferido.No domingo, uma ameaça de bomba mobilizou policiais do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc). Homens ligaram para o Denarc neste final de semana dizendo que havia uma bomba no prédio e a rua no Butantã teve de ser bloqueada por policiais com fuzis e escopetas. Até agora, nenhum envolvido com os atentados foi preso.A polícia ainda não informou se o caso de Guarulhos tem relação com os tiros disparados contra as bases da PM de São Paulo na semana passada. Na madrugada de quarta-feira, a base do bairro Santana foi atacada por dois homens. Menos de 24 horas depois o alvo foi a base do bairro Morumbi. Um policial foi atingido no peito e se salvou porque utilizava colete à prova de bala. Um policial foi assassinado no Viaduto Curuçá, na Vila Maria, zona norte da cidade. As informações são do Bom Dia SP/TV Globo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.