PMDB garante estrutura para Colombo

É o ex-governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) quem garante a maior parte dos palanques e a estrutura financeira que sustenta a campanha de Raimundo Colombo (DEM) em todo o Estado. Dos 293 municípios catarinenses, 114 são governados por prefeitos do PMDB. O DEM governa 44 e o PSDB, 35. Por todo o Estado, o poderio financeiro da campanha de Colombo é visível. A maior parte dos outdoors e cavaletes é dos candidatos da coligação a deputado estadual e federal e a publicidade privilegia as figuras de Colombo e Luiz Henrique.

, O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2010 | 00h00

Nos santinhos, o nome do presidenciável José Serra (PSDB) está presente, mas não a foto. Na campanha da televisão, Colombo privilegia a apresentação de propostas, ignora os ataques e evita a nacionalização do debate, ao contrário da campanha da rival Ideli Salvatti (PT), que exibe o presidente Lula e a presidenciável Dilma Rousseff a todo instante. "Não é o momento de uma mudança ideológica. Isso não está acontecendo na sociedade. A discussão nas eleições deve estar centralizada na gestão", afirma Colombo.

Também é Luiz Henrique quem rebate as afirmações de Lula sobre o DEM. "Foi um arroubo de Lula no calor do palanque. Não acredito que ele realmente pense assim. Ulysses Guimarães dizia que comício é lugar de dizer bobagem", argumenta o ex-governador, que não poupa críticas a Dilma. "Nunca vi ninguém se eleger presidente sem ter tido uma experiência anterior", provoca.

"Serra é um político denso, que leva a ética aos limites. Governou a Prefeitura e o Estado de São Paulo sem escândalos. Ele vai para o 2.º turno e aí o quadro muda totalmente", acredita. Luiz Henrique não esconde a mágoa com o PT, que lhe fez oposição ferrenha na Assembleia. "A tríplice aliança não é um arranjo de ocasião. Foi o grupo que me apoiou e sustentou no governo. A manutenção da aliança é também uma forma de gratidão." É a primeira vez que o PMDB não lança candidato próprio no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.