PMDB quer lançar Beltrame candidato

Secretário de Segurança do Rio, entretanto, é taxativo e diz que não tem interesse em entrar para a vida política

Alfredo Junqueira, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2011 | 00h00

RIO

O diretório do PMDB do Rio já tem pronta a ficha de filiação do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. Delegado licenciado da Polícia Federal (PF), ele goza de muita popularidade por ser o criador da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), considerada a mais bem sucedida iniciativa no setor em muitos anos.

Segundo o presidente do partido no Rio, Jorge Picciani, a ideia inicial é lançar Beltrame como puxador de votos da legenda para a Câmara dos Deputados em 2014. "A ficha dele já está pronta aqui para eu abonar. Seria um nome perfeito para formarmos uma bancada grande em 2014. É um homem sério e muito popular", afirmou Picciani.

O secretário, no entanto, sempre negou com veemência qualquer intenção de disputar cargos eletivos - inclusive a sucessão do governador Sérgio Cabral (PMDB), em 2014. Ontem, em nota, afirmou que se mantém firme nessa posição.

"Já disse isso publicamente e repetirei quantas vezes for necessário. Não tenho o menor interesse em entrar na vida política. Para evitar qualquer especulação, fiz questão de não transferir meu título de eleitor para o Rio de Janeiro", afirmou o secretário, que é gaúcho e vota na cidade de Santa Maria.

Beltrame ganhou notoriedade como um dos idealizadores das UPPs. Em 2010, participou da tomada da favela da Vila Cruzeiro e da invasão do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Neste ano, também comandou a ocupação do Morro da Mangueira. A redução dos índices de criminalidade também ajudaram na reeleição do governador, em primeiro turno.

Alguns aliados de Cabral ainda cultivam a expectativa de lançar o secretário como sucessor do governador. Por ora, o nome oficial do partido para 2014 é o do vice-governador, Luiz Fernando Pezão. "Sabemos de sua resistência. Mas temos a expectativa de que ele se convença a entrar no partido", disse Picciani.

Precedentes. A eventual entrada de Beltrame no PMDB do Rio e sua eleição para a Câmara dos Deputados confirmaria uma tendência no Estado. Três dos últimos ocupantes do cargo - Josias Quental, Marcelo Itagiba e Anthony Garotinho - se elegeram deputados.

Quental e Itagiba, inclusive, entraram para a vida política depois de chefiar a Secretaria de Segurança. Garotinho também chegou a ocupar a pasta durante a gestão de sua mulher, Rosinha, no Palácio Guanabara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.