PMs acusados de acobertar roubo de carro são liberados no Rio

Foram soltos oito dos nove policiais acusados de acobertar o roubo de um carro cometido por um cabo da corporação, que irá abrir um inquérito para investigar caso

Julia Baptista,

19 Novembro 2010 | 17h35

SÃO PAULO - Oito dos nove policiais militares do 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM) presos administrativamente na madrugada de quinta-feira, 18, no Rio de Janeiro foram liberados na noite de ontem, após prestarem depoimento, segundo a Polícia Militar do Rio de Janeiro. Eles são suspeitos de acobertar o roubo, por um cabo da corporação, de um carro na Ilha do Governador, zona norte do Rio, na madrugada desta quinta-feira, 17.

 

Em nota, a PM informou que foi aberto um Inquérito Policial Militar e que os policiais vão continuar trabalhando administrativamente no batalhão.

 

Policiais do 17º BPM trocaram tiros com o cabo Fábio Rodrigues Gonçalves, que fardado e em horário de trabalho, estava no veículo junto com o cabo Fábio Andrade da Silva, seu cúmplice. Gonçalves acabou morto após ser atingido.

 

Ambos eram lotados no 22º BPM, do Complexo da Maré. Eles deixaram de patrulhar a Linha Vermelha, a principal via expressa da cidade, para apanhar um carro roubado, em uma rua no acesso ao Morro do Dendê, na Ilha do Governador, uma das favelas mais violentas na zona norte da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.