PMs acusados de liberar atropelador de Rafael Mascarenhas são transferidos

Prisão preventiva dos policiais foi decretada nesta terça-feira; eles são acusados de extorquir em R$ 10 mil o estudante Rafael Bussamra, que atropelou o filho de Cissa Guimarães

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

28 Julho 2010 | 11h21

SÃO PAULO - Os dois policiais militares, o sargento Marcello José Leal Martins e o cabo Marcelo de Souza Bigon, acusados de liberar o carro e extorquir em R$ 10 mil o estudante Rafael Bussamra, atropelador do filho da atriz Cissa Guimarães, Rafael Mascarenhas, foram removidos.

 

Segundo a Polícia Militar, eles foram transferidos durante a madrugada desta quarta-feira, 28, para a Unidade Prisional da Polícia Militar, em Benfica, no subúrbio do Rio. Os PMs estavam presos administrativamente no 23º Batalhão do Leblon.

 

Depoimento

 

Os policiais que fizeram a ocorrência do atropelamento do músico Rafael Mascarenhas, na madrugada de terça-feira, 20, chegaram à 15ª DP, na Gávea, por volta das 9h30 de hoje para depor.

 

Segundo a Polícia Civil, a delegada Bárbara Lomba vai enviar uma outra intimação para o 23º BPM para solicitar ao Batalhão Prisional da Polícia Militar, em Benfica, para que os dois policiais acusados compareçam à delegacia para depoimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.