PMs do caso Afroreggae são condenados à pena mínima no Rio

Policiais omitiram socorro ao coordenador da ONG, não impediram a fuga dos criminosos e ainda pegaram objetos da vítima

Gabriela Moreira, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2010 | 23h37

RIO - Os policiais militares acusados de envolvimento na morte de um coordenador da ONG AfroReggae, Evandro João da Silva, de 42 anos, em outubro do ano passado, foram condenados por prevaricação, na noite de quarta-feira. O capitão Dennys Leonard Nogueira Bizarro recebeu pena de 1 ano e o cabo Marcos de Oliveira a 6 meses de detenção. Ambos em regime aberto.

 

Segundo denúncia do Ministério Público, os dois omitiram socorro à vítima, não impediram que os assaltantes fugissem e ainda tomaram para si os objetos roubados. A ação foi flagrada por câmeras de segurança de lojas, próximas ao ocorrido, no centro do Rio.

 

A Justiça inocentou os PMs dos crimes de furto, peculato, falsidade ideológica e concurso de crimes. O MP vai recorrer da absolvição por peculato (apropriar-se de bem ao qual teve acesso pela função pública).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.