PMs envolvidos em morte de jovem não se formam em Recife

Quatro policiais são acusados de envolvimento na morte de Dênis Francisco dos Santos, 13 anos, há 10 dias

23 de janeiro de 2008 | 04h30

Os quatro acusados de envolvimento na morte de um adolescente há 10 dias, na capital pernambucana, não puderam participar da cerimônia de formatura dos alunos do Curso do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da Polícia Militar do Estado de Pernambuco. A decisão foi tomada pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Baltazar Arantes da Silva, Frederico Renan de Albuquerque Lira, Eduardo de Souza Xavier e Ganduso Pereira Diniz são acusados de participação na morte de Dênis Francisco dos Santos, de 13 anos. As imagens foram gravadas. O garoto teria sido espancado pelos policiais durante uma intervenção da polícia numa confusão durante uma prévia carnavalesca no bairro do Cordeiro. Exceto Baltazar, apontado como o responsável pela gravata que derrubou o adolescente, a polícia apura a conduta dos outros três, que estão sendo investigados por não terem socorrido o menino. Uma hora antes da solenidade, o secretário de Defesa Social, Sevilho Paiva, anunciou que a posse deles estava suspensa, pois ficariam à disposição da corregedoria para que as investigações não sofram atraso. Os quatro alunos não poderão participar por enquanto de qualquer ação policial.

Tudo o que sabemos sobre:
RecifePernambucomorte de jovem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.