PMs estariam jurados de morte na Baixada

Escuta telefônica comprova suspeita, diz deputado

Camilla Haddad e Josmar Jozino, O Estadao de S.Paulo

05 de setembro de 2009 | 00h00

Desde abril, quando foi ameaçado de morte, o soldado Marco Antonio Vieira, de 44 anos, não saía desarmado nem para ir ao banheiro de sua casa, em São Vicente. Ele pediu ajuda aos superiores , pois seu nome estava na lista de PMs marcados para morrer pelo crime organizado na Baixada Santista. O policial foi executado na semana passada com dez tiros, na frente da família. Quatro colegas de farda tiveram o mesmo fim.

Segundo o deputado estadual Major Olímpio (sem partido), uma interceptação telefônica feita pela polícia, com autorização judicial, apurou que existe uma lista com nomes de PMs e agentes penitenciários na mira do crime organizado. O parlamentar afirmou que outros três colegas do soldado Vieira também estão marcados para morrer. "O clima é péssimo na Baixada Santista. Os policiais estão desesperados e o Estado não garante proteção."

A lista da morte e os recentes ataques a bases comunitárias reforçam a tese da bancada policial na Assembleia Legislativa de São Paulo de que essas ações são protagonizadas por integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ontem, criminosos dispararam contra a base da 1ª Companhia do 27º Batalhão da Polícia Militar, na Cidade Dutra, zona sul. Uma viatura da PM também foi metralhada no Jardim Oriental, em Santo André, no ABCD.

Quatro soldados da PM foram surpreendidos por ataques criminosos enquanto estavam em serviço na região sul da capital e na Grande São Paulo. O ataque à base da Avenida Senador Teotônio Vilela, em Cidade Dutra, ocorreu às 4h40 de ontem . Segundo a Polícia Civil, dez tiros foram disparados, mas atingiram a parede e a janela. Os soldados conseguiram se esconder e não se feriram. Em depoimento, os PMs disseram que dois homens em uma moto ainda não identificada foram vistos saindo da rua em alta velocidade. Uma pessoa a pé também foi vista correndo para uma favela próxima e até as 20h de ontem não foi presa.

Às 8h, uma viatura da PM foi metralhada por três homens na Rua Escalon, no bairro Jardim Oriental, em Santo André. Um soldado foi atingido na perna, mas passa bem. Seu nome não foi informado. Segundo a Secretaria da Segurança, os policiais foram chamados para averiguar uma suposta briga de casal e, quando chegaram à casa indicada, foram baleados. Três suspeitos foram detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.