PMs que entraram em confronto em enterro são presos no Rio

Dois policiais do 3.º Batalhão da PM estão sob prisão administrativa desde esta terça-feira, 13, por terem entrado em confronto com manifestantes, na segunda-feira, 12, após o enterro do motoboy, Jackson Vieira da Silva de 25 anos, morto por uma bala perdida no sábado. Testemunhas disseram que os tiros foram disparados por policiais militares. O tumulto aconteceu em frente ao Cemitério de Inhaúma, zona norte. Um dos policiais punidos avançou com um carro da PM contra motocicletas usadas para bloquear a rua. O outro apontou um fuzil contra pessoas desarmadas, que reagiram com pedras, e agrediu um dos manifestantes com um soco. Ainda na segunda, eles prestaram depoimento à Corregedoria da PM. Os nomes dos PMs, que responderão a um processo disciplinar, não foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública. O relações-públicas da PM, coronel Rogério Seabra, não foi localizado. A confusão foi registrada por um cinegrafista da TV Globo, e as cenas provocaram crítica do governador Sérgio Cabral Filho à ação dos policiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.