PMs são acusados de fazer segurança ilegal em Alagoas

Agentes da PF cumprem sete mandados de busca e apreensão de armas e munições em Roteiro

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

11 de setembro de 2008 | 11h24

Quatro policiais militares são acusados de fazer segurança especial para a prefeitura de Roteiro, em Alagoas. Eles são procurados por agentes da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira, 11, pela Operação Sonar. A PF cumpre sete mandados de busca e apreensão de armas e munições. De acordo com Nilton Ribeiro, delegado da PF, os mandados estão sendo cumpridos nas casas dos policiais militares, nas residências do prefeito e no gabinete da prefeitura. A ação foi originada a partir da Operação Taturana, realizada em dezembro do ano passado, que investigou o desvio de mais de R$ 300 milhões da Assembléia Legislativa de Alagoas.  Na época, segundo Ribeiro, foi encontrado dentro de um dos carros do prefeito da região, um carregador de submetralhadora com 27 cartuchos calibre 9 mm intactos, o que levantou suspeitas. A operação conta com o apoio da Força Nacional. Já foram apreendidos um revólver calibre 38, sem registro que estava em poder de um policial militar, e uma escopeta calibre 12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.