PMs são presos acusados de participar de briga no Rio

Por determinação do comando da Polícia Militar, os envolvidos foram detidos administrativamente por 72 horas

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

12 de dezembro de 2011 | 10h22

SÃO PAULO - Dois policiais militares foram presos acusados de participar de uma briga na boate Provisório, na Ilha do Governador, no Rio, na madrugada da última sexta-feira, 9, deixando uma pessoa ferida.

Segundo a Polícia Militar, a Corregedoria Interna instaurou uma averiguação para apurar o envolvimento do capitão Alexandre Gualberto da Silva, do 16º Batalhão (Olaria) e do cabo Alessandro Gomes de Souza, do 41º Batalhão (Irajá), na briga.

A 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (1ª DPJM), encarregada de apurar os fatos, também investiga a participação de outros policiais militares. Por determinação do comando da Polícia Militar, o capitão e o cabo foram presos administrativamente por 72 horas.

Prisão. O soldado Alfredo Pereira da Silva Junior, do Grupamento Tático de Motociclistas do Batalhão de Choque, foi preso na Rua Henrique Valadares, na Lapa, no Rio, neste domingo, 11, por policiais militares do 5º Batalhão (Saúde). O PM já está preso na UP (Unidade Prisional), em Benfica, acusado de roubo a mão armada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.