PMs são presos por formação de quadrilha e corrupção no PR

Ao todo, nove pessoas foram presas em ação da polícia de Cascavel, no oeste do Estado, e Ministério Público

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2008 | 15h39

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Cascavel, do Ministério Público do Paraná, e a Polícia Militar prenderam nesta quinta-feira, 11, na região oeste do Paraná, nove pessoas acusadas de roubo, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e receptação. Entre os presos estão dois policiais militares da ativa e três ex-policiais. A denúncia feita pelo Ministério Público aponta ainda dois policiais civis, mas contra eles não foi expedido mandado de prisão. Mais uma pessoa ainda é procurada.   Os detidos são acusados de simular operações policiais parando ônibus, caminhões e automóveis que retornavam do Paraguai, para assaltá-los, e, em outras vezes, simplesmente sair atirando a esmo para parar os carros. "Faziam terror", salientou o tenente Gerson Zocchi, coordenador do Gaeco. "Eles tinham alvos pré-definidos, como os sacoleiros que tinham dinheiro e eram roubados."   A operação, chamada de Corsário, foi desenvolvida nos municípios de Cascavel, Medianeira e Santa Helena, onde também foram cumpridos 18 mandados de busca, com apreensão de quatro carros, seis armas, munição, dinheiro e mercadorias. Também foram encontrados fardamentos das polícias rodoviárias e da Polícia Federal.   Segundo a polícia, as investigações começaram há oito meses, mas o grupo atuava havia pelo menos um ano e meio. Zocchi ressaltou que, em razão de haver dois membros da ativa da PM na quadrilha, alguns equipamentos da própria corporação foram utilizados para os crimes.   Atualizado às 17h56

Tudo o que sabemos sobre:
CascavelParanáMPEpolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.