PMs suspeitos de morte da juíza serão ouvidos nesta terça-feira

Polícia faz diligências para cumprir mandados de busca e apreensão na casa de policiais do mesmo grupo

Tiago Rogero , estadão.com.br

13 Setembro 2011 | 10h13

RIO - Os três policiais militares suspeitos do assassinato da juíza Patrícia Acioli passaram a noite na Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. Os depoimentos formais do tenente Daniel dos Santos Benitez e dos cabos Sergio Costa Júnior e Jefferson de Araújo Miranda devem começar às 14h desta terça-feira, 13.

 

Segundo a polícia, eles serão ouvidos individualmente, mas os depoimentos podem ser confrontados, se houver necessidade. Os três foram levados para a DH por volta das 16h30 de segunda-feira para o cumprimento dos mandados de prisão temporária expedidos no domingo pelo Plantão Judiciário. Após os depoimentos, eles serão levados de volta à Unidade Prisional da PM, onde já estavam presos pela morte de Diego Beliene, de 18 anos.

 

Cerca de 90 policiais fazem diligências para cumprir 18 mandados de busca e apreensão nas casas de outros policiais do Grupo de Ações Táticas do 7º BPM (São Gonçalo), onde trabalhavam os PMs suspeitos. Também estão sendo cumpridos mandados em residências de pessoas ligadas aos três policiais. As diligências estão sendo feitas em endereços de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, São Gonçalo, Senador Camará e Niterói.

 

Ontem, 16 mandados foram cumpridos nas casas dos três PMs presos e de seus familiares. Na residência do cabo Júnior, em São Gonçalo, foi apreendida uma pistola calibre .40 registrada e de uso particular. No armário do tenente Benitez, no 7º BPM, foram encontradas munições calibre .9 mm.

 

Policiais da DH apreenderam ontem 695 revólveres e pistolas do 7º BPM. As armas vão passar por uma perícia para verificar se foram usadas no assassinato da juíza. Elas devem ser encaminhadas ainda hoje ao Instituto de Criminalística Carlos Eboli (ICCE).

 

 

Atualizada às 11h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.