Polarização segue

A mais abrangente até aqui, a pesquisa Datafolha divulgada ontem, que registra as candidaturas principais nos mesmos patamares da consulta anterior, foi bem recebida pelo PSDB, que vê na repetição do empate técnico um sinal de que o rompimento gradual de José Serra com a estratégia de candidato pós-Lula foi um passo acertado.

JOÃO BOSCO RABELLO, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2010 | 00h00

A lógica tucana é a de que o fator Lula, responsável direto pelo crescimento gradual e firme de Dilma Rousseff, pode estar no limite de sua eficácia, na medida em que seus índices permanecem inalterados.

Pela mesma lógica, a pesquisa frustrou o PT, que comemorara internamente o resultado do Vox Populi, feito para a TV Bandeirantes, e que registrou um crescimento de oito pontos para Dilma Rousseff. Cliente do mesmo instituto, o PT soube do resultado informalmente, antes de sua divulgação pela emissora.

Por esse raciocínio, a postura mais agressiva de Serra nas últimas semanas pode ter contido o crescimento de sua adversária. Ao privilegiar na campanha temas da vida real, como a sinergia perversa entre drogas, saúde e educação, trazendo as duas últimas para o contexto de uma política de segurança, o PSDB acredita ter atingido um flanco sensível do PT.

A nova crise entre Venezuela e Colômbia dá visibilidade ao papel ativo das Farc no narcotráfico e expõe a tolerância do governo do PT ao movimento - que resiste a admitir como criminoso -, justificando a cobrança que o candidato do PSDB faz nesse sentido.

O rompimento entre os dois países servirá à continuidade da exploração do tema pelos tucanos, embalados pela convicção de que a tese seduz parcela do eleitorado que ainda está indecisa.

Na boca maldita

A pesquisa Datafolha mostra que José Serra mantém a liderança no sul e Dilma Rousseff tem apoio dos dois maiores colégios eleitores do Nordeste. A maior vantagem de Serra é no Paraná, onde tem 45% das intenções de voto, e a petista, 30%. Por isso, Lula aterrissa em Curitiba no próximo sábado com Dilma Rousseff a tiracolo. O candidato a governador do PSDB, Beto Richa, também está na frente: ele tem 43% das intenções de voto, contra 38% de Osmar Dias (PDT). Lula e Dilma desembarcam no marco zero da política paranaense: a Boca Maldita, ponto tradicional de encontro dos curitibanos. "É um ponto tradicional de fofocas e futricas políticas", define um político paranaense.

Nova tribuna

Fora da disputa eleitoral, Ciro Gomes virou comentarista político da TV Cidade de Fortaleza (afiliada da Rede Record). Por ora, promete não girar a metralhadora contra Dilma e o governo, por fidelidade ao PSB, mas avisa que a mágoa continua.

Voto feminino

A pesquisa Band/Vox Populi mostrou que tem sido bem-sucedida a ofensiva de Dilma Rousseff (PT) sobre o voto feminino. Nas últimas aparições, ela foi enfática nas declarações endereçadas às mulheres. O Vox Populi mostrou que, pela primeira vez, ela ultrapassou José Serra na preferência das mulheres. No levantamento, Dilma aparece com 38% das intenções de voto entre as mulheres e Serra, com 32%.

Herança maldita

Herança do governo Arruda, 11 mil estabelecimentos comerciais em Brasília funcionam com alvarás provisórios. A Justiça impôs o fechamento de centenas deles, entre os quais a PUC-DF, com 22 mil alunos, em provas finais de semestre, mais sete faculdades, colégios de ensino médio, postos de gasolina e cinemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.