Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Polícia abre inquérito para apurar mortes em teste da Goodyear

Três homens morreram na última quinta durante testes de pneus, quando caminhão capotou após uma curva

Rose Mary de Souza, de O Estado de S. Paulo,

01 de dezembro de 2007 | 17h35

A Policia Civil abriu inquérito para investigar as causas da morte de três homens durante um teste no campo de provas da empresa de pneus Goodyear, em Americana, ocorrida na tarde da última quinta-feira. As vítimas ficaram presas as ferragens do caminhão Ford modelo Max Truck carregado com lingotes de ferro gusa que capotou após uma curva.   Ele chegaram a ser socorridos pelos Corpo de Bombeiros e levados a hospitais da cidade porém já chegaram sem vida. Morreram o piloto de teste da Goodyear Aurélio de Melo Dantas, 38 anos, e os funcionários da Ford do Brasil Flávio Camargo Gamo e Alexandre Kriechle Junior. O corpo do piloto foi encaminhado para sepultamento em Mato Grosso do Sul e os dois da montadora para Tatuí, interior de São Paulo.   Segundo o delegado do 3º Distrito Policial de Americana, Alfredo Luiz Ondas, os três ocupavam a cabine do caminhão. Conforme os primeiros levantamentos, os funcionários faziam testes com diferentes tipos de cargas, alternando velocidade e troca de jogos de pneus fabricados pela Goodyear.   O veículo teria capotado em uma curva e prensado os corpos dos passageiros. "Houve um tombamento, o caminhão capotou e fez a cabine vir sobre os três ", afirmou. O delegado diz que aguarda o resultado dos laudos dos exames da perícia, conferir se utilizavam os dispositivos de segurança e deve ouvir testemunhas do acidente.   Conforme a assessoria da Goodyear, a empresa lamenta a ocorrência e afirma que irá colaborar com as investigações. Esse seria o primeiro acidente com vítimas fatais em seu campo de provas.  

Tudo o que sabemos sobre:
Goodyear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.